domingo, 8 de outubro de 2017

Você merece ser amada!

Depois do divórcio vem o recomeço
A primeira fase pós divórcio e complicada. A culpa, raiva, medo... tanta coisa junta que não dá pra pensar em sapatos, maquiagem ou qualquer coisa do tipo. Não da vontade nem de sair da cama, quanto mais chamar a atenção pra nós. “Deixa a gente sofrer quietinha, por favor?”
Depois o mundo começa a nos cobrar que voltemos para ele. O trabalho, a família, os amigos, as crianças precisam de atenção... Enxugamos as lágrimas, levantamos da cama e, nos intervalos das tarefas, concertamos o coque no cabelo, pra não parecer tão desgrenhada quanto a cara de choro. Nosso travesseiro vive molhado.
Depois de um tempo, e com muito incentivo, começamos a dar pequenas saídas pra um café ou uma caminhada na praia. Sempre rápido. Nossa casa é nossa zona de conforto. Notamos que o nosso corpo mudou um pouco e pensamos: “e daí? Ninguém mais vais olhar”... Cobrimos um pouco mais. A vontade de se esconder é imensa.
Aos poucos, vem uma necessidade de cuidar um pouco de si mesma. Sem exagero. Só pra desviar um pouco e atenção do fim gritante. Pilates , yoga... horas com a terapeuta. “Talvez eu esteja melhorando”... ainda muito insegura pra sair e ver o mundo como solteira. Solteira? Solteira! Solteira. Não estava nos planos...
Passa um cara na rua e te dá um sorriso, sem nem ligar pra o cabelo desgrenhado ou a roupa escura. Damos até aquela olhadinha pra o lado como quem se pergunta se é com você mesmo. É. Chega em casa, se olha no espelho e percebe que aquele estranho foi um lembrete discreto de que você está viva. Você é mulher!
Um pouco mais de atenção à roupa no outro dia. Mas nada de mais. A libido não voltou mesmo. “Será que volta?” Mas não custa nada se arrumar... um batom discreto, um vestido que não usava há muito tempo... ficou bom. As lembranças ainda vivas, mas não como antes. Porém, não há espaço pra mais nada... tarefas, filho, contas, trabalho... Quanto mais melhor. Ocupa a mente.
Um dia você decide arrumar a casa e se livrar do passado. Ele não cabe mais ali (visível ). E então percebe o quanto o passado ocupava espaço na sua vida. Mudança de planos: “vamos repaginar a casa e o guarda roupas”!
E nessa sede de mudança vem uma alegria que você não sentia há muito tempo. Uma vontade de experimentação na casa, no corpo, na vida... por que não? Mas junto com essa vontade vem um medo insuportável de que o novo te traga velhas feridas. Um passo pra trás...
Nesse estudo sobre você mesma, aprende a lidar com o medo, a insegurança, a tristeza... percebe que não precisa dar longos passos de uma vez. “Vamos devagar, mas vamos, ok?” Diz aquela voz.
Então você sente muita alegria de viver novamente. Parece que o mundo tinha perdido a cor e está ressurgindo agora. Tudo é amor, tudo é paz, tudo é felicidade... E então surge um cara. Não dá em nada. “Talvez esteja muito cedo”.
Então um outro, e outro. Até que um dia você perde o medo e resolve jantar. Deixando claro que é sem compromisso. Não rola nada. Depois conhece outra pessoa e outra. Até que perde o medo e resolve dar outros passos. Sim, eu sei que da medo. Mas, e daí?
Não precisa deixar tatear seu coração. Não ainda... quem sabe? Talvez seja a hora... É... É hora de amar se novo.

Amiga, não sei em qual fase você está. Eu passei por elas. Devagar, por todas elas. Separar dói. Muito. Mas vai passar. Tudo no tempo certo. Cuide de você, se ame, se respeita, se cuide, se aceita e tenha a certeza de que você merece ser amada.

domingo, 24 de setembro de 2017

A paz está dentro de você!


Hoje li uma frase muito interessante: “O ser humano que está em paz não quer guerra com ninguém”. Simples, mas é a verdade. Vou te dar um exemplo bem pessoal. Antes de passar por todo o processo de terapia, espiritualização e autoconhecimento, tive uma fase dura. Sempre nervosa, estressada, triste... E parecia que o mundo inteiro conspirava para  que isso piorasse: os colegas implicavam, o vizinho ouvia som a todo volume, os parentes não podiam se ver que virava uma confusão, e por aí vai.
Então comecei a me estudar, focar em mim. Não vou conseguir te dizer o momento exato em que a mudança aconteceu, mas aconteceu. De repende a paz tomou conta. Eu me sentia feliz em qualquer lugar, independente de onde fosse. Nada poderia tirar meu bom humor, porque não dependia de nada externo. Vinha tudo, naturalmente, de dentro. É um prazer constante, difícil de explicar com palavras. E quando a frequência vibracional parece oscilar, respiro, analiso o que está tentando interferir e retomo o controle.
Comecei a tratar as pessoas de forma diferente. Não que eu as tratasse mal antes, mas passei a ser mais firme, e ao mesmo tempo atenciosa e solicita, o que tem como consequência o respeito. Não há mais provocação, porque não me atingiam mais, entende? Na família, a paz voltou. Porque começaram a notar a paz que eu emanava e começaram a compartilhar e buscar isso também. O vizinho, que me incomodava com o som, sem nenhum atrito ou reclamação, simplesmente parou.
Falando de mais consequências, minha pele mudou, meu cabelo mudou... tudo mudou! Tudo em decorrência da paz interior conquistada por mim. Voltando a frase inicial: como vou querer guerra, atrito, se eu sou a paz? Entende? Então, pense bem nisso: o ambiente em que você vive é consequência do seu mundo interior. Perceba que, assim como acontece com você, será com os outros também. Se uma pessoa vive chateada, aborrecida, brigando com todos, pode ter certeza de que o problema não é com você, é dela com ela. Não julgue! Envie energias positivas e siga seu caminho.  

sábado, 26 de agosto de 2017

Não se assuste: as pessoas realmente se interessam por você!


Presto serviço em um restaurante e, como tenho contato com os clientes na entrada e na saída, sinto a obrigação de ser um bom cartão de visita e escutá-los. Na entrada, sempre cumprimento com “boa tarde” ou “boa noite” e “seja bem, vindo (a)”,  “além de desejar “bom apetite”. Na saída, enquanto concluo o atendimento, pergunto como foi a refeição e agradeço.
Por incrível que pareça, sempre me deparo com reações engraçadas: alguns ficam surpresos,  outros ignoram, e alguns questionam. Por exemplo, neste sábado um cliente que sempre vai no mesmo horário, ficou me observando atender os demais. Quando chegou a vez dele, me questionou:
- Você fala isso com todo mundo?
- Sim, dou atenção a todos. Vocês merecem!
-Já vai no automático, não é?
- Não. Eu realmente me interesso por vocês. – respondi sorrindo.
- Então você pergunta como estava a comida pra fofocar pra seu patrão, não é?
- Não – continuei sorrindo – é ele quem prepara sua refeição. Mas é importante pra nós sabermos se vocês foram bem atendidos, se estão satisfeitos... Assim, corrigimos os possíveis erros e melhoramos pra vocês.
Então, vi que o rosto dele tinha uma expressão de descrença. Lembrei que, em nossa penúltima conversa, ele pediu informação sobre um instituto que eu não sabia que existia.
- O senhor encontrou o instituto que estava procurando na ultima semana?
Surpreso, e agora com um sorriso no rosto, ele respondeu:
- Encontrei sim. Muito obrigada por perguntar.

Parece uma conversa bem boba. Mas não é. Quantas vezes recebemos um presente e dizemos “não precisava”, ou ganhamos um elogio, uma promoção ou um flerte e dizemos que não merecemos ou acreditamos que a pessoa do outro lado pode estar com alguma segunda intenção, simplesmente porque, no fundo, acreditamos que o outro é superior. Mesmo que este pensamento não seja a nível consciente.
As pessoas andam correndo tanto, o tempo parece cada vez mais curto. E nesta sensação de que o tempo está curto, vamos cortando coisas, aparentemente pequenas. Acreditando que, assim, ganhamos tempo. Realmente, não é comum ser atendido com atenção. A maioria das empresas prezam por quantidade de atendimento e não a qualidade dos mesmos.  Porém, olhe que interessante: todos os clientes que são bem tratados, muitas vezes relevam alguma falha do estabelecimento e sempre retornam, lembram de quem os atendeu e fala bem para as outras pessoas.
Seu vizinho, seu companheiro, seu cliente, seu colega de trabalho... qualquer um, que se sinta tratado como merece, vai dar o mesmo retorno a você. Ambas as partes notarão que merecem o melhor e ficarão alegres e mais seletivos. Se analisarmos profundamente, todos saem no lucro.

Então, não esqueça: você merece ser muito, muito bem tratado. Você é muito especial! Quando alguém te saudar, responda. Quando te elogiarem, agradeça. Você merece! Quando for presenteado, também. Em algum momento você vai perceber que, se todos estão te tratando desta forma, algum motivo tem. E verá que tenho razão.

Namastê
Muito Obrigada

quinta-feira, 24 de agosto de 2017

Escolha ser feliz

Sorria pra vida e ela sorri pra ti

Pra quê tanta raiva e tanto rancor? 

Sei que não é fácil ou tão simples assim

Mas quando se aprende é como achar um tesouro


Comece o dia tendo gratidão 

Respire fundo o sorria pra vida

Você está na terra pra evoluir

Que marca você quer deixar por aqui?

Por isso


Escolhi sorrir

Escolhi amar

Escolhi abraçar 

Escolhi viver

Escolhi a paz

Escolhi as flores 

Escolhi a harmonia 

Escolhi os amores

Escolhi ser feliz


Não procure a sua volta não vai encontrar

Respire fundo e conseguirá enxergar

A chave secreta está dentro de ti

E quando for livre descobrira que não era tão secreta assim 


Eu sei que os sonhos podem ser realidade

(Olha eu aqui)

Amando a vida, você e a mim

Então não desista no primeiro obstáculo 

Pois ele é um teste para o que está por vir


O mundo é de todos mas poucos aproveitam

Passamos mais tempo correndo atrás do dinheiro 

Que aproveitando o que ele pode proporcionar

A felicidade vale muito mais

Do que esse dinheiro poderia comprar

Por isso


Escolhi meus pais 

Escolhi meus filhos

Escolhi os amigos

Escolhi amar

Escolhi a praia

Escolhi a paz 

Escolhi o mundo 

Descobri que sou capaz 

(É você também é )

Seja luz


Levar alegria é um presente de Deus 

E para fazer isso é preciso estar feliz também 

Por isso que  cada lugar que vou

Faço questão de deixar um pouco de amor


Canções que te fazem sorrir e sonhar

Acreditar que o mundo pode ser melhor do que está 

Entrar em sua casa e em seu coração 

Transformar o mundo em uma só nação 


Eu acredito no bem 

Eu acredito no amor

Eu acredito na paz 

Eu acredito em você 

Eu acredito em mudanças 

Eu acredito na Luz 

Eu acredito que o futuro 

Estamos fazendo aqui


Agradeça a todos ao seu redor

São eles que te ajudam a ser um ser humano melhor

Pense duas vezes antes de falar

(Ou mais)

Pois suas palavras tem mais força do que pode imaginar 


Procure dar sempre o melhor de si

Pois o que se da é o que se recebe aqui 

De quê vale o ouro que você juntar

Se com bons amigos você não puder compartilhar 


Olha para o céu 

Olhe para o mar

Veja a imensidão que tem

E tem sempre mais pra dar


Seja como a vela

Que pode acender milhões 

E continuar a brilhar

O presente


Nada se acaba por culpa de um só 

Apontar culpados só vai machucar mais

Você sofreu muito e eu sofri também 

Mexer no passado só vai doer mais e mais

(Porque ainda dói)


Não vou falar dos momentos ruins

Pois já foram vistos e nada vai mudar

Mas te agradeço por passar por mim

E ensinar que o amor é bem mais que penar


Ao nos ver de fora e usar a razão 

Percebi que a ânsia de fazer dar certo

Nos afastou de nossos corações 

E trouxe a tona o pior de nós 


Não nego que o amor ainda existe aqui

Mas não temos mais chance de ficar juntos

Entenda que a vida é mais simples assim

E te desejo toda felicidade do mundo


Encontrei amigos, encontrei a mim, encontrei a paz 

E descobri que para estar com alguém 

Antes de qualquer coisa é preciso estar muito bem

É como a velha história que diz 

Que só se pode doar

Quando seu copo de amor e felicidade transbordar


E eu transbordei

Agora amo o mundo

Sorrio quase o tempo todo 

Encontrei a felicidade em mim 

(Bem aqui)

E aí 

Vivo dia após dia

(Sem medo)

Admiro a lua e o sol

E a vida sorri pra mim


Não guardo mágoa de você 

Foi o meu grande professor

E desejo que encontre em você 

O que encontrei em mim

sábado, 5 de agosto de 2017

Uma prova de amor

Para ingressar em uma instituição que desejo, realizei uma redação. Como tema, me foi solicitado que escrevesse uma carta para um amigo sobre, em resumo, a importância da leitura, e incentivando-o a ler. Fiquei muito feliz com o tema e saí de lá com os olhos brilhando de felicidade. Em seguida, vim para casa transcrever a mesma para vocês. Espero que seja útil.

Caro amigo,
Uma das frases que mais marcaram minha infância foi dita por minha mãe: “Não se nega a ninguém água e livros”. E ela, ainda hoje, leva está crença muito a sério. Ao seu modo, ela falava sobre o direito do ser humano ao acesso a necessidades básicas.
Lembro que ela sempre trabalhou muito. E a cada retorno, trazia de presente um livro que comprava na rodoviária. Não importava o tema. Certa vez, ganhei um dicionário de japonês e outro de alemão. Já na infância, conhecia autores que é maioria das crianças levaria ainda alguns anos para conhecer.
Assim começou meu prazer pela leitura e curiosidade sobre novos temas. Muitas vezes me pego dissertando sobre temas que tive a chance de conhecer nestas centenas (sem exageros) de livros que já li. Minha mãe me fez ver a leitura como uma grande oportunidade de vencer na vida. E isso me abriu, e ainda abre, muitas portas.
Leio sobre tudo: de bula de remédio a best sellers. E como isso me ajuda? Não tenho preconceitos, porque minha mente se abriu completamente. Não tenho medo do novo, porque sei que sempre posso aprender com ele. Posso atuar em qualquer área, porque não tenho medo de aprender. Não me coloco na posição de vítima, porque sei que minhas portas sou eu quem abre.
Por estas e outras razões, te convido a tomar seu futuro em suas próprias mãos. Saia do conforto e das opiniões prontas e dadas a você pelos outros. Faça seu próprio destino. Leia tudo. E seja um ser humano feliz e muito melhor. Além de, consequentemente, em ser social produtivo e formador de opinião.

                                                               Com respeito,
                                                                Kassia Luana
Ainda não sei o resultado da prova. Mas, a reflexão que me fez ter foi um grande presente.
Muito obrigada!
Namaste