quarta-feira, 16 de novembro de 2011

A Cura


E quando o dia parece perdido de tantos problemas, decepções... À noite me traz a cura. E quando o dia é bom, feliz, à noite a cura me completa. A sua inocência de criança que me rouba sorrisos fáceis. O toque delicado das suas mãos passeando no meu corpo, acariciando cada parte dele como se já fossem velhos conhecidos, íntimos. Sempre cheio de surpresas. A sensibilidade e a virilidade que toda fêmea espera do seu macho durante toda vida... Seus beijos, intercalados com seu toque macio, maduro e ao mesmo tempo de menino. Fazer-me chegar ao êxtase como se tivesse sido treinado a vida inteira para me trazer isso. Seus lábios, seus beijos, seu corpo, seus sussurros, a liberdade que eu sinto perto de você... E depois dormir em seus braços e parecer, ao menos naquelas horas, que estou protegida e que nada nem ninguém pode me atingir naquele tempo. E como tudo na vida se acaba, isso também vai acabar um dia. “Não há mal que nunca acabe ou bem que sempre dure”. O importante é aproveitar cada momento e ter sempre a consciência de que será finito. Não há amanhã nem ontem perto de você. Somente o hoje. 

Um comentário:

  1. Hum, que lindo, amiga! Tá inspirada, hein??? rsrrss. Amei!!! Bjos

    ResponderExcluir