segunda-feira, 14 de julho de 2014

Livre.... até pra ser chata!


Já passei por períodos bem complicados, em que eu achava que quando uma pessoa feria minha confiança, quebrava o laço, eu poderia perdoar e esperar as coisas voltarem a ser como antes. Talvez seja por falta de sorte minha, mas, todas as vezes que dei uma segunda oportunidade para pessoas que feriram minha confiança... quebrei a cara.
Esta é uma das razões pelas quais não sinto falta de ter 5 mil amigos. Os poucos que tenho são fortes e verdadeiros. Não são santos. Também não vou dizer que nunca tivemos problemas. Mas nenhum deles jamais me tratou com desrespeito, mesmo quando me diziam coisas que iam de encontro a minha opinião. Porque como principio da nossa amizade está o respeito.
Então hoje separei meus grupos em: amigos; conhecidos; conhecidos próximos; conhecidos mais próximos; e depois de muuuuuuuito tempo, amigos.
Tirei da minha lista de amigos aquele pessoal que só me procura na época de eventos para pedir cortesia, ou aquele povo que quando briga com o namorado lembra que precisa desabafar com alguém e depois desaparece de novo, ou ainda aquele pessoal que usa meu nome pra conseguir as coisas ou encobrir coisas (né?), ou ainda aquele grupo que diz uma coisa pra A, outra pra B... Chega de gente sonsa, puxa-saco...
Podem me chamar de metida, chata e outros adjetivos que já usaram para me definir.  Não me ofendo porque não me importo. É melhor ter 5 amigos com os quais eu posso contar do que 5 mil e estar sempre sozinha.