sexta-feira, 28 de abril de 2017

Esqueça os estereótipos



Está semana, um paparazzo  (aquele fotógrafo que ganha invadindo a privacidade dos outros) fotografou uma “celebridade” na praia, de biquíni, e enfatizando bastante as celulites e estrias que ela tem. Sim! Nooooossa!! Celebridade com estria? Celulite? Que assuntao, hien?
 Matéria a semana inteira: o número de seguidores que ela perdeu nas redes, o biótipo da mulher perfeita, homens revoltados com o uso do Photoshop, mulheres revoltadas pois seguiam as dietas que ela usava e assim por diante.
O que ninguém falou foi o fato de que quase todas as mulheres tem estria, celulite, pneuzinho... Também não viraram que com menos de 35 anos a celebridade citada já possui uma marca que ultrapassa milhões. Que, além de ser mãe de duas crianças com menos de 5 anos, levou ao sucesso e formou uma empresa familiar com irmãos, mãe, meio irmãos e emprega famílias de várias partes do mundo com suas empresas.

 O que ninguém falou, foi sobre o fato de ela apoiar causas sociais com as classes consideradas “minorias” (negros, homossexuais, pobres, descendentes albaneses...). Ninguém falou, também, sobre a mesma ter sido assaltada recentemente, desenvolvido um medo imenso de tudo, se cercar de seguranças e ter aprendido que os bens materiais “não são importantes e que poder perder a vida por causa deles mudou a forma de ver a vida, o dinheiro e a priorizar ainda mais a família”.
Até quando vamos julgar o livro pela capa? Por que uma mulher não pode ter marcas de gravidez no corpo? Qual o problema em não ser padrão? Quando foi que ela pediu para que as pessoas se vestisse como ela?
Parem de idealizar as pessoas. Imaginar que porque estão nas capas de revista ou jornais são perfeitas. Elas são seres humanos. Vão ao banheiro, choram, sorriem, gritam e falham assim como você. E daí? Você merece menos respeito por isso? Ela também não.
Parem de julgar as pessoas. Vivam suas vidas. Sejam felizes e vejam o lado melhor das pessoas. Esqueçam os estereótipos pois são todos falsos! Seja você mesmo. Você é único e especial e merece ser amado e respeitado, independente de qualquer coisa. Se você precisa de uma celebridade para saber o que falar, comer e se vestir eu sinto muito. Mas a vida não é um reality show ou uma revista.

Namaste

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Na minha vida só quero o que é bom! Eu mereço.


Nos últimos meses tive algumas mudanças drásticas em minha vida. Abri mão de algumas coisas, adquiri outras, aprendi muito, passei a dedicar mais tempo e minha espiritualidade... Além do meu trabalho com o site de gastronomia, que ainda está começando, resolvi trabalhar em outras áreas para complementar a renda. Um grande amigo, gerente de um restaurante na minha cidade, me convidou para fazer extras a noite lá, como caixa. O trabalho é divertido, dá pra conhecer muita gente nova, moradores e turistas de todo país. Mas uma coisa me chamou muito a atenção: a postura das pessoas que me “conhecem” e sabem que sou jornalista e já tive, juntamente com meu ex marido, um restaurante. 
Algumas pessoas frequentavam as mesmas festas que eu, trabalhavam juntos, bebiam juntos (muitas vezes às minhas custas), me chamavam de “amiga”... Hoje, quando me encontram no restaurante, tem reações diversas, é engraçado de ver: alguns fingem não me conhecer, outros preferem não ir ao caixa para não precisar falar comigo, uma delas saiu do restaurante às pressas para não me cumprimentar... foi engraçado. 
E onde está o problema? Em mim? No cargo? Ou nelas? Eu acredito que a ultima opção é a verdadeira. O fato de se incomodarem com o cargo diz muito sobre o caráter de cada uma delas. E me coloca numa posição interessante: quem desses eram realmente meus amigos? A resposta também é simples: nenhum. Que exemplo essas pessoas estão passando para seus filhos? Qual dessas pessoas gostou de verdade de mim alguma vez ou apenas estava por perto para se aproveitar de situação e do que eu posso oferecer? É esse tipo de pessoa que quero frequentando a minha casa e fazendo parte da minha vida?
Meu telefone não toca mais como antes. Mas quando toca, do outro lado tem sempre alguém que me ama de verdade. Gente que liga só pra saber como estou. Gente que me convida para um café ou um jantar em suas casas. Gente que só quer saber se estou me cuidando e se oferecendo para estar ali se eu precisar de alguma coisa. E isso me faz uma mulher imensamente feliz.
Oportunidades de trabalho na minha área? Sou eu quem faço. Mas acredito que este tempo que estou passando no restaurante citado anteriormente faz parte da limpeza que estou fazendo na minha vida e que já citei em outros artigos: Na minha vida só quero o que é bom. E isso inclui as pessoas. Faz parte de uma limpeza energética. Se você se cerca do que é bom, só terá em resposta coisas boas. Se você se cerca de futilidade, falsidade e coisas ruins, só terá isso de retorno. 
Que tal fazer esta limpeza energética na sua vida você também? 

Namaste 

domingo, 16 de abril de 2017

Agradeça por tudo e se dê a chance de ser feliz!


Recentemente tenho lido cada vez mais. Tenho dado profundos mergulhos dentro de mim e descoberto coisas incríveis. Hoje mesmo uma amiga me mandou um vídeo muito interessante sobre as energias que atraímos para nossa vida e a consequência delas no presente e no futuro.
Por exemplo: uma pessoa não tem afinidade com você  E procura todos os meios de te irritar. Até conseguir. O que você não percebe é que se ela conseguiu é  porque você deixou. Sinto muito, amigo: 1×0 pra ela. E se ao invés de se deixar irritar você agir diferente? Tentar olhar a pessoa com olhos de um observador atento. Você vai descobrir que talvez o problema não seja você ou algum ato seu. Talvez a pessoa esteja projetando em você uma raiva que tem dela mesma ou de alguém que não consegue atingir. Então te vê como o elo mais “fraco” e vê na sua felicidade, educação, ou tristeza e quietude uma forma de liberar essa raiva que ela guarda dentro.
Recentemente passei por isso. Uma pessoa que está no meu meio de trabalho desde o dia que entrou tentou me criar inúmeros problemas. Me tratava muito mal e em seguida chorava e contava a todos o contrário. Cometia erros e tentava colocar a culpa em mim... no começo, devo confessar que senti raiva. Não conseguia entender o motivo de tanta dor e tanta tristeza despejadas em cima de uma pessoa que sempre que pôde à estendeu a mão. Então, descobri que está pessoa tinha três grandes problemas: o primeiro era a necessidade extrema de atenção devido a sua insegurança; e segunda provinha de um relacionamento muito destrutivo que a leva a chorar todos os dias e a pensar em suicídio, sendo que eu saí de um relacionamento muito delicado e continuava firme, forte e sorrindo ; e a terceira era a inveja: das roupas, do tratamento que recebo das pessoas...

Quando me dei conta disso pensei: ela não tem raiva de mim, ela tem raiva de si mesma. Ela não odeia a mim, ela, lamentavelmente odeia a si mesma e a vida que leva. Ela não suporta a ideia de ainda não estar preparada para dar passos mais largos em sua vida e amadurecer. No meu ímpeto, tentei ajuda-la. Mas isso causou ainda mais raiva nela. Então a coloquei em minhas orações diárias. Como terei que conviver com ela por algum tempo, e acredito que precisamos estar cercados de energia positiva para evoluir e ser feliz, quando mais feliz as pessoas e minha volta estiverem, mais grata eu serei e, consequentemente mais feliz.

A raiva passou e imediatamente comecei a vê-la como uma grande professora. Eu estava assim nos primeiros dias de divórcio: amarga, triste, só falava sobre isso e achava que todos a minha volta tinham que estar deprimidos e tristes junto comigo... não é assim. Sinto informar. Somos seres individuais que convivem em coletividade. Todos temos problemas e, por mais que de uma maneira ou de outra as pessoas a nossa volta se compadeçam da nossa dor e possam ajudar de alguma forma, nós fomos os causadores e só nós podemos encontrar a solução e a saída para nossos problemas. Não adianta projetar sua ira no outro porque a única pessoa que vai sair machucada é você.

Quando decidi me divorciar ouvi frases do tipo: “casamento tem que ser pra sempre, um empurrão ou um arranhão não é agressão”; “todo homem é meio agressivo às vezes”... estava tão debilitada física e emocionalmente que cheguei mesmo a cogitar que tudo o que eu tinha passado era coisa da minha cabeça. *Só pra constar, meu ex ainda acha isso e eu o considero um grande professor. Então me cerquei de pessoas completamente diferentes das que eu costumava ter por perto. Voltei a ler e escrever, incluindo músicas  (coisas que não fazia há mais de 15 anos); voltei a sair, cuidar da alimentação, ter por perto pessoas felizes, bem resolvidas e que me apresentaram e estão me apresentando um mundo repleto de coisas maravilhosas que eu já tinha mas não valorizava. Estou descobrindo a minha imagem Verdadeira. *nisso falaremos em outro artigo.

Depois disso, antes de revidar, julgar ou falar eu me faço algumas perguntas: eu estou sendo eu mesma ou reflexo das minhas emoções passadas? Eu estou reagindo como gostaria que reagisse comigo? Por que será que essa pessoa me tratou assim? Agi de modo correto com ela? Preciso realmente conviver com essa pessoa? Se não preciso, por que estou convivendo? Como posso resolver essa situação sem me ferir ou ferir o outro? O Deus que habita dentro de mim está evoluindo com essa atitude?
Muitas perguntas, correto? Mas quando você responde a todas elas vai notar que não há motivo pra raiva, vingança, rancor... E devo isso é todas as pessoas que atraí no meu processo de evolução e no Deus que agiu através dessas pessoas para me mostrar um caminho de maior harmonia e felicidade.

Meu conselho? Se cerque de pessoas boas de verdade, que sejam Luz. Invista no seu Eu interior e seja luz também por onde passar. Dedique algumas horas da semana a uma Boa terapeuta (a minha se chama Marlene e me ajudou a dar passos imensos); evite falar de problemas pois, cada vez que falamos é como vive-Los novamente. Tire alguns momentos do dia para meditação silenciosa e oração. Se ame, se respeite e acredite: assim como tudo que está acontecendo é culpa sua a resolução desses probleminhas também são responsabilidades suas. Agradeça por tudo e se dê a chance de ser feliz!

Namaste

domingo, 9 de abril de 2017

Diga sim a felicidade a qualquer idade!


Quando se é muito novo, a pressa está sempre nos fazendo tomar atitudes impensadas. O tempo parece nosso inimigo e queremos tudo para ontem. O medo de não conseguir fazer tudo o que queremos nos torna reféns de uma impulsividade. E depois não conseguimos lidar com nossos atos. Sentimentos conflitantes. Cabeça e mente brigam constantemente. E às vezes parece que nada tem solução. Perdidos. 
E então você percebe que precisa tomar uma atitude: amadurecer ou desistir. Quando a vida me colocou no ponto de decisão eu decidi. E amadureci! Para ser sincera com vocês leitores, estou em processo de amadurecimento. Passar a vida como vítima, ainda que sem perceber, é cruel com você é com quem te ama. Agir como adolescentes medrosos e que sempre correm pra um colo em busca de suporte é cansativo e triste. Para você é para os que te amam. Ninguém gosta de estar ao lado de quem está sempre triste e se lamentando. Alegria atrai alegria. Tristeza atrai tristeza.

Quando descobri isso, comecei a atrair pra mim coisas que nunca imaginei. Pessoas maravilhosas. Amor. Exercícios simples me ajudaram a dar esses passos e o primeiro deles foi a aceitação. Eu não posso mudar o mundo ou as pessoas. Mas eu posso mudar a mim mesma. E eu aceitei isso. Não foi simples. Mas foi libertador. Tenho uma personalidade muito forte e aceitar que nem tudo pode ser do meu jeito foi um grande passo. Porém, descobrir isso me fez ver como a vida pode ser mais leve.
Em seguida passei a ouvir mais do que falar. Nossa, quanto eu falava. Não dava a mínima chance do outro se abrir, se expressar, conhecer novas coisas, aprender... isso também significa respeito. E, respeito atrai respeito. Quando ouvimos as pessoas elas se sentem amadas e respeitadas. E isso é gratificante.

E por falar em gratidão aí vai mais uma dica, a mais importante de todas: seja grato! Por tudo! Observe da seguinte forma: se um dia você não tiver o que comer, quando tiver comida vai agradecer imensamente e valorizar aquela comida. Não é mesmo? Quando se tem relacionamentos ruins e descobre porque eles não funcionaram, quando encontrar uma pessoa com a qual vale a pena passar a vida vai valoriza-la e certamente estará mais atenta. Então seja grato pelos que deram errado.
 Quando uma pessoa te irritar, observe o motivo e pense: por que será que ela me irrita tanto? É difícil entender mas você vai descobrir que tem muito de você nesta pessoa e ela está te dando a chance de melhorar. Seja grato! Seja grato por seus pais, sua família, seus amigos. Seja grato por seu emprego ou pelo emprego que esta surgindo para você. Sim, agradecer atrai. E já que tudo acontece quando estamos preparados, se ainda não aconteceu é porque ainda não estamos prontos. 

Ao dar esses  passos você vai perceber que o tempo é seu amigo. Não terá mais medo de fazer 30, 40, 50 anos ou mais. Você vai respirar aliviado ao descobrir que pode ser feliz e qualquer tempo, em qualquer lugar, simplesmente porque a felicidade vive dentro de você. Provém de uma gratidão tão grande pela vida, pela natureza, pelas pessoas que nada nem ninguém conseguirá te entristecer. A não ser você mesmo. 
Medite, faça terapia, acredite no Deus que habita dentro de você. Agradeça por tudo ao acordar, levantar, comer, sorrir. Leia mais. Se dê a chance de conhecer novas pessoas. Descubra o quanto você é especial. Abrace seus pais. Valorize sua família, seus filhos. Perceba que não há idade para recomeçar, para aprender, para ser feliz.
Seja amoroso e faça o bem. O mundo vai sorrir para você. 

Namaste 

quarta-feira, 8 de março de 2017

Você é capaz de agradecer e reconhecer todas as bênçãos que tem recebido?


Todo ano, quando se próxima a data do meu aniversário, faço um balanço de tudo que fiz no ano que está se encerrando. Aprendizados, mudanças, conquistas, ciclos que se encerraram, e os que se iniciaram. E começo a fazer mentalmente uma lista do que quero manter, do que é benéfico, do que me faz crescer como humano e ser espiritual, e o que não quero mais na minha vida, as coisas que podem atrapalhar esta evolução. E isso é muito bom!

Conheci pessoas maravilhosas, deixei um emprego muito bom, no qual aprendi muito para investir em um sonho que virou realidade o site Porto Seguro Gastronomia, tive avanços incríveis na terapia que me ajudaram a descobrir causas de males que enfrentava desde a infância sem me dar conta, recomecei a yoga, fiz novos e verdadeiros amigos, minha saúde está impecável, aprendi a ser grata por tudo que me acontece. Aprendi a me perdoar e ser menos impulsiva. Consegui um emprego extra para dar continuidade a meus sonhos, me aproximei ainda mais da minha mãe...


É óbvio que aconteceram muitas coisas difíceis também. Mas com todas elas aprendi alguma coisa. Aprendi que ninguém é obrigado a amar o outro da mesma forma que é amado, aprendi que você não é responsável pelos atos dos outros, mas somente pelos seus. Aprendi a dizer não. Me afastei de pessoas e coisas que só me faziam mal e me aproximei de pessoas que me ensinaram que a culpa não era minha e que ninguém pode agradar a todo mundo. Aprendi que o que vem fácil vai fácil. Que ninguém é perfeito e que não podemos exigir dos outros que se transforme naquilo que queremos que ela seja. Temos que aceita-las como são. O caminho é delas.

Descobri o significado do karma. Conheci a palavra de Osho, Buda e outros grandes mestres. Aprendi o poder da doação e como ele funciona. Aprendi que o amor é uma bênção e não deve, jamais, ser um fardo. Aprendi a ler nas entrelinhas e estou aprendendo a tirar minhas emoções de onde só deve ser utilizada a razão. Descobri que não precisa estar junto todos os dias para ser amigo de verdade.
Voltei a escrever, e descobri que este é o meu dom: através das palavras, ajudar outras pessoas e mostrar a elas que não estão sozinhas. Por isso o meu blog eudigoedai.blogspot.com tem tido um crescimento incrível. Ninguém fica sem resposta. Estou sempre disposta a dividir e responder a meus leitores. Todos nós temos um dom que deve ser descoberto e utilizado com o coração para ajudar a si mesmo e a outras pessoas.

Descobri, também, que temos dentro de cada um de nós um Deus interior que deve ser cuidado, diariamente, com carinho e atenção. Que devemos equilibrar o corpo e a mente e nos tornar cada vez mais conscientes. Esta semana uma amiga me fez uma observação muito interessante: às vezes passado por algumas pessoas ficamos alegres, animados. E às vezes, passando por outras pessoas ficamos tristes e desanimados. Mas, quando tomamos consciência de que aquilo não é nosso, que não nos pertence, oramos por aquela pessoa e nos libertamos daquele sentimento que não nos pertence. Estou me tornando mais consciente.

Este e apenas um resumo do resumo do que aprendi. E o que tenho que aprender ainda? Muito. Dar continuidade a meu conhecimento interior, me aproximar ainda mais desta divindade que existe dentro de mim, agradecer ainda mais, todos os dias, por tudo que tenho recebido. Repare que, mesmo nos momentos mais difíceis, você pode abrir a janela e ver o sorriso de uma criança, o sol, uma bela flor, receber o abraço de um amigo o sorriso de um desconhecido... Como não ser grato por todas estas coisas?

Depois de tudo isso,  só tenho uma pergunta para te fazer: você é capaz de agradecer e reconhecer todas as bênçãos que tem recebido? Quando se sentir triste, magoado, ferido... lembre-se que é você quem tem o dom de lidar e acabar com isso. Se você sente raiva de uma pessoa, por exemplo, este sentimento é seu e não dela. Então quem tem que resolver isso é você com você mesmo.
Não tenha vergonha de desabafar com as pessoas certas. Não se sinta menor ou pior que ninguém. Como já disse anteriormente e vou repetir quantas vezes for necessário: você foi colocado no mundo material para descobrir seu eu verdadeiro e investir nisso. Você é único. E ninguém é melhor ou pior que você. Acredite nisso!

Quando você se der conta do potencial que tem, quando descobrir o quanto é capaz de ser cada vez melhor para você e para o mundo, você vai descobrir o verdadeiro significado de Deus e vai se sentir feliz com mais e mais frequência.
Meus planos daqui pra frente? Aprimorar tudo que aprendi e aprender ainda mais. Ser melhor para mim, para as pessoas a minha volta e dar minha contribuição para o mundo. Julgar menos e orar mais. Culpar menos, pedir menos e agradecer mais. Lembre-se: o Universo nunca para. Tudo que vai, volta. Tudo que você dá, recebe. E quanto melhor você for para si mesmo e para os outros, maiores serão os benefícios que receberá da vida.
Não desista! Independente da sua idade a vida começa quando você começa a dar valor a ela e ao Deus que está dentro de você!

Nos falamos em breve.


Namastê

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Você é a vítima, a azarada ou a Fênix? – A escolha é sua!



Quando algumas das pessoas que me conhecem há mais de 10 anos falam sobre minha vida muitas delas dizem, que sou azarada. Outras dizem que faço muitas escolhas ruins. Existem, aquelas que me consideram uma Fênix. Conhece a lenda?
Em resumo, a fênix “é um pássaro da mitologia grega que, quando morria, entrava em autocombustão e, passado algum tempo, renascia das próprias cinzas. Outra característica da fênix é sua força que a faz transportar em voo cargas muito pesadas, havendo lendas nas quais chega a carregar elefantes. Podendo se transformar em uma ave de fogo. Teria penas brilhantes, douradas, e vermelho-arroxeadas, e seria do mesmo tamanho ou maior do que uma águia... A vida longa da fênix e o seu dramático renascimento das próprias cinzas transformaram-na em símbolo da imortalidade e do renascimento espiritual”.

Passei pela faze do vitimismo: “Oh Deus, tudo de ruim só acontece comigo”; “Por que eu?”; “Qual o problema comigo?”; “Por que tenho atraído tantas pessoas ruins para minha vida?”. Depois tive a fase da culpa: “Tal pessoa fez isso comigo porque eu mereci”; “perdi isso ou aquilo porque mereci”; “este sofrimento é porque eu deixei”. E por aí vai. Mas então, sempre que esses pensamentos tentavam me roubar a mente me lembrava da amiga que me colocou o apelido de Fênix e das que, diariamente, me lembram que sou uma.

Mas dessa vez, ao invés de me levantar sozinha procurei apoio, ajuda de quem tem mais conhecimento sobre dois temas que podem e vão mudar a sua vida para melhor, se você permitir: psicologia e espiritualidade. Sim, mente e espirito. Entrei de corpo aberto nesses dois mundos, que até pouco tempo julgava sem importância e comecei a descobrir como e porque as coisas aconteciam, que sinais a vida estava me dando, o que tinha que aprender com as pessoas a minha volta.

Uma das primeiras coisas que fiz foi aprender sobre gratidão. Cada um percorre o caminho de forma diferente. Este foi o meu. Mesmo afundada em dívidas, terminando mais um relacionamento destrutivo e tumultuado, ao meu lado estavam as pessoas que me consideravam como o pássaro. Me ajudando, confortando, ouvindo, protegendo... O que será que o Universo queria me dizer com isso? Eu entendi como um: Pare de reclamar e comece a agradecer.

Então, da hora que acordo até a hora de dormir, agradeço. Por tudo. Ter um teto, saúde física e mental, amigos de verdade, amor da minha família, alegria de viver, oportunidades, conhecimento... Depois comecei a perdoar. E a primeira pessoa que precisa ser perdoada é você mesmo. A culpa não é sua. Você não pode se culpar pelas atitudes dos outros, pelos maus hábitos das outras pessoas, por alguém ter te destratado ou não te tratado da forma que você esperava... Simplesmente não é culpa sua.

Depois, comecei a observar os sinais: se uma coisa acontece repetidas vezes e o final é sempre o mesmo, alguma coisa precisa ser mudada, não é mesmo? Então, ao invés de ser a vítima, fui estudar os começos, meios e fins. Mesmo sem perceber, eu estava repetindo atos de meus antepassados. Repetindo, repetindo... Pra mim aquilo era normal. Eu acreditava que não merecia a felicidade, eu era ingrata com tudo que recebia e, de alguma forma, bloqueava e arruinava tudo por não me achar merecedora de tudo que estava recebendo.
E então, comecei a cuidar do meu lado espiritual. Eu estava muito apegada ao material. As roupas da marca, o cabelo da moda, nem vou dizer quantos pares de sapato tenho e que nunca usei. Conheci uma instituição e fiz uma limpeza no guarda roupas.  Desapeguei-me de muita coisa que só me fazia gastar, mesmo que não tivesse, só pelo fato de ter. Afastei-me das pessoas que só estavam perto quando recebiam algo em troca. Mas não fiquei com raiva delas. Substituí o rancor e a mágoa por orações, pelo perdão... Você não sabe o que transformou a outra pessoa no que é hoje e nem por quais problemas está passando pra agir daquela maneira. Apenas troque a raiva por uma prece por aquela pessoa. Você vai ver os resultados assim como eu vi.

Parei de ficar vivendo no passado. E de pensar o tempo todo no futuro: o que vou comer amanhã, o que vou vestir amanhã, quanto dinheiro vou ter amanhã... Enquanto estou escrevendo este artigo, estou pensando neste artigo e no bem que me faz escrever essas coisas, contar sobre a minha história para, possivelmente, incentivar outras pessoas a olhar a vida de outro ângulo. Você nunca sai de um acontecimento “ruim” sem ter aprendido nada com ele. Observe os sinais.


Você é único em suas habilidades. Descubra quais são e invista nelas. Não pense em quanto dinheiro vai conseguir com isso. Faça o que te dá prazer. O que te faz bem. E por consequência, se te faz bem e você coloca amor nisso, os resultados virão. Se passou a vida se envolvendo com pessoas erradas vá ate a base disso. Descubra de onde surgiu essa extrema necessidade de sofrer mesmo que inconscientemente, e controle-a. Você é capaz. E estou conseguindo, você consegue.

Pense mais antes de agir e falar. Uma palavra, um gesto uma atitude tomada na hora errada pode arruinar seu trabalho, sua vida, um relacionamento. Ajude mais as pessoas. Acredite: quanto mais você ajuda de coração mais você recebe de coração. É assim que o Universo funciona. Não fale mal das outras pessoas e não participe de conversas desse tipo. Não julgue. Assim como fazendo o bem você recebe o bem, fazendo o mal você recebe o mal. Quando alguém vier falar mal de alguém pra você mude de assunto, faça um elogio a pessoa. Talvez seja disso que ela precise. Funciona!

Mudanças nunca ocorrem de um dia para o outro. Sou a prova viva disso. Nossa mente fica condicionada a agir do mesmo jeito sempre. Mas quando você se dá conta disso, tudo muda. E você só terá a agradecer. Disse nos artigos anteriores e repetirei: terapia e espiritualidade são a chave para uma vida de conquistas liberdade e felicidade.
Eu desejo a você tudo de melhor! Pratique os passos que citei acima e, em breve, te contarei os demais. Você vai se surpreender com a força interior que tem. E nunca mais vai reclamar, falar das pessoas ou julgar, se culpar ou culpar os outros, guardar mágoas (envelhece sabia?)... Seja a Fênix!


Nos falamos em breve.
Namastê


terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Que mundo você está construindo para seus filhos?


Dias atrás presenciei uma cena muito feia. Em um restaurante, na hora do tumulto, uma atendente passou o troco bem a mais que o devido para a cliente. Imediatamente percebeu o mesmo e, pedindo desculpas, explicou o equivoco à cliente, que respondeu: “está na minha bolsa, é meu. Se vira”. Dias depois, um pai, ciente de diversos crimes que o filho cometeu, ao invés de repreendê-lo (já que é reincidente e se safou anos antes de crimes piores), enviou dinheiro para que o mesmo fuja do país. Sim.
Continuando minha caminhada pela vida, vi pessoas muito ricas humilharem pessoas mais simples por prazer, pessoas que causam brigas entre outras e depois saem de fininho para assistir, como diz minha mãe, “o circo pegar fogo”.  Fofocas, intrigas, tentativas de puxar o tapete do outro, mulheres culpando outras mulheres vítimas de violência pelas agressões que sofreram... um bombardeio de energia negativa.

Até pouco mais de um ano, eu já teria tomado à frente em todos esses casos. Brigado, feito escândalo, exposto nomes... Hoje me coloquei como um mero observador. Um observador triste pelo futuro da humanidade. O que será do futuro da humanidade com estes seres que estamos sendo no presente? O que os filhos desta geração serão no futuro?


Então resolvi me aprofundar ainda mais em mim mesmo, com o objetivo puro e simples de me tornar uma pessoa melhor, mais justa, menos egoísta, mais forte, mais calma. E dar mais atenção às pessoas boas (que não são poucas) que me cercam. Gente que sai do trabalho, cansado, quase meia noite, para ter meia hora de conversa com um amigo que precisa. Gente que tira um tempo no dia corrido para ir a casa de uma amiga conversar e orar junto. Gente faz de tudo pra ajudar o outro se reerguer. Que abre a geladeira pra matar a fome de quem precisa. Gente capaz de dar a vida pelo outro.

Sim, ainda tem muita gente assim pelo mundo. Só precisam se juntar e propagar isso. Eu quero ter filhos em um mundo melhor que esse. Cercado de pessoas boas, caridosas, de coração aberto, espiritualizadas no sentido real da palavra. E que através desses exemplos, começando dentro de casa, meus filhos sejam como estas pessoas. Exemplos valem muito mais que conselhos.

Então, fiz esta pergunta esta semana no meu facebook e agora farei a você: Como você quer ser lembrado pelos seus filhos no futuro? E perguntarei mais: Que homens e mulheres você quer que eles se tornem? Em que mundo você quer que eles vivam? Você se sente bem com suas atitudes do presente? Qual o reflexo dessas atitudes em você e nas outras pessoas? Seus filhos se alegrariam com isso? Se repetissem seus atos, eles seriam pessoas das quais você se orgulharia?

Karma, Lei do retorno, pagamento... Chame como quiser. Um fato é que tudo que vai, volta. Se você quer o bem, faz orações implorando que as coisas andem bem, mas joga praga nas pessoas, trapaceia, rouba, engana... o que espera em troca? Mas se você ora com fervor, vai além da igreja, mas se concentra na espiritualidade, abre o coração, a mente e o corpo para coisas positivas é isso que você vai receber: amor, positividade, o bem... Seja o bem. Pense nisso!


Namastê


terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Deixe a arrogância de lado e seja feliz


Somos pessoas arrogantes. Sim! Dói, não é? Mas é a verdade. Achamos que estamos preparados pra tudo: pra morte, pra uma briga, pra uma demissão, pra uma crise financeira... Quantas vezes já ouvi pessoas dizerem coisas do tipo: “se morrer, morreu”; ou “se eu perder compro outro”, ou “se eu ficar pobre (de dinheiro) consigo tudo de novo”; “ ninguém é igual a mim no meu trabalho porque sou o melhor”; “eu sou mais evoluído”, “eu sou esperto e consigo fazer tudo”, “é difícil pra você? Pra mim é tão fácil”...

Se você não falou uma dessas frases, ou algo parecido com isso, você pensou em algum momento. Antes do meu casamento, eu era uma ótima conselheira para as casadas: “se fosse comigo seria assim”, “se fosse comigo eu não deixaria”... E aí... acontece com você. E você vê que todas as tuas teorias baseadas em NADA valem o mesmo: NADA.
Como disse anteriormente em outros artigos, toda religião que me ensina a ser melhor eu pego o melhor dela e trago pra mim. Uma amiga da Seicho-No-Ie me ensinou uma coisa muito importante. Dentro desta religião tem preletores. Esses preletores orientam somente pessoas que estão passando pelo mesmo que eles já passaram, enfrentaram, digeriram e superaram. Entende a lógica?

Como um professor pode ensinar moda sem nunca ter estudado moda ou trabalhado na área? Como alguém que não entende de matemática e odeia a matéria pode ensinar uma criança a gostar da matéria ou algo sobre ela? Depois do divórcio (que ainda está em andamento e corre em segredo de Justiça), comecei a ouvir pessoas que já passaram pelo mesmo. Apeguei-me ainda mais ao meu lado espiritual. Porque eu, matéria, acreditava que por meditar alguns minutos por dia, fazer yoga, terapia e não fazer mal a ninguém estava muito bem, evoluída e curada. Mas não estava. Arrogância.

Então a vida me virou ao avesso e me fez ver que nada do que está acontecendo é físico. Tudo é espiritual. São lições que eu deveria ter aprendido e precisava aprender pra me tornar um ser humano melhor. E quando eu me abri, e dessa vez de verdade, para o que o Universo estava tentando me dizer, as coisas começaram a ficar mais claras. As lembranças do passado começaram a ressurgir. E a lógica das coisas começou a aparecer. Os “porquês”, os sinais que foram ignorados... Tudo veio à tona de tal forma que eu me assustei. De verdade. Tive medo, chorei copiosamente por dias, tentava encontrar um culpado pra tudo...  

Mas, e as minhas ações? E as minhas escolhas? O que me levou a certo ponto? O que me tirou dos eixos? O que me fez acreditar que eu estava curada? Por que algumas ações que já haviam ficado no passado voltaram à tona? Acredita realmente que isso é físico ou material?
Não, meu caro leitor: é espiritual, mental... E a nossa arrogância não nos deixa ver. Nada nessa vida acontece por acaso. De tudo temos uma lição para tirar. E quando comecei a enxergar isso, me vi cercada de pessoas que me amavam tanto, que acreditavam tanto em mim, que viam além do que eu mesmo podia ver. Comecei a estudar os sinais, ser mais grata pela minha família, mais humilde, pedir mais desculpas...
Um dia estava com a geladeira abarrotada, roupas que não tinha nem onde guardar... No outro, me vi com pão e iogurte em casa. Era o almoço para uma semana. Meu orgulho não deixava que as pessoas que realmente me amavam vissem que, teoricamente, eu havia fracassado. No outro, estava com a geladeira cheia, abraços apertados, correntes de orações e energias positivas, oportunidades... Saí do meu casulo, recusei medicamentos pra “amenizar” a dor.

No começo eu queria fazer qualquer coisa para fugir da dor. Soníferos, reclusão... Mas como superar uma coisa que você não aceita? Palavras de Osho: “Quando aceita, você fica acima, você transcende. Quando luta, você desce para o mesmo nível. Aceitação é transcendência. Quando aceita, você fica sobre uma colina e o corpo é deixado para trás. Você diz, "Sim, tal é a sua natureza. O que nasce tem de morrer e, se tem de morrer, às vezes fica doente. Não é preciso se preocupar tanto" — fale como se isso não estivesse acontecendo com você, só acontecendo no mundo das coisas.
Esta é a beleza: quando não está lutando, você transcende e deixa de ficar no mesmo nível. Essa transcendência torna-se uma força de cura. De repente o corpo começa a mudar. O mundo das coisas é um fluxo; nada é permanente ali. Não espere permanência! Se esperar permanência neste mundo onde tudo é impermanente, você provocará inquietação.
Nada pode ser para sempre neste mundo; tudo o que pertence a este mundo é momentâneo. Essa é a natureza das coisas, a aceitação daquilo que é. Se você relutar em aceitar um fato, viverá o tempo todo na dor e no sofrimento. Se aceitá-lo sem nenhuma queixa, não num estado de impotência, mas de compreensão, trata-se de aceitação daquilo que é. Dali em diante você deixa de ficar preocupado e não existe mais problema”.

Entendeu a diferença? Chore, grite, desabafe. Enfrente a dor. Guardar dentro de você, se tornar recluso e incrédulo só te causará mais dor: amargura, descrença, depressão... E não fomos colocados no mundo para isso. Estamos aqui para aprender, evoluir, melhorar como seres espirituais. A matéria se vai. O que você quer deixar para a humanidade? Se acredita em reencarnação, como quer vir na outra vida? Quer sofrer por diversas vidas até aprender ou aproveitar as chances que a vida está te dando e crescer?
Se acredita que será julgado por Deus no Juízo Final, como quer ser visto? Como a pessoa que se dedicou dia após dia para ser melhor ou como a pessoa que fez o que achava melhor pra não ir “ao inferno”? Você foi bom de verdade ou esperava uma recompensa?

Seja bom de verdade. Seja humano. Seja verdadeiro. Seja humilde. Deixe o orgulho numa caixa trancada e jogue no lixo. Você não vai ser ajudado se ninguém souber pelo que está passando. Você não vai ter oportunidades se não correr atrás delas. Mas, você vai ser julgado se preferir se sentar e julgar. Vai ficar amargurado quando perceber que a sua bondade era por esperar algo em troca. Não se compadecerá com a dor e o sofrimento dos outros. Nem mesmo com o seu. Deixe a arrogância de lado e seja feliz.

Namastê