domingo, 16 de abril de 2017

Agradeça por tudo e se dê a chance de ser feliz!


Recentemente tenho lido cada vez mais. Tenho dado profundos mergulhos dentro de mim e descoberto coisas incríveis. Hoje mesmo uma amiga me mandou um vídeo muito interessante sobre as energias que atraímos para nossa vida e a consequência delas no presente e no futuro.
Por exemplo: uma pessoa não tem afinidade com você  E procura todos os meios de te irritar. Até conseguir. O que você não percebe é que se ela conseguiu é  porque você deixou. Sinto muito, amigo: 1×0 pra ela. E se ao invés de se deixar irritar você agir diferente? Tentar olhar a pessoa com olhos de um observador atento. Você vai descobrir que talvez o problema não seja você ou algum ato seu. Talvez a pessoa esteja projetando em você uma raiva que tem dela mesma ou de alguém que não consegue atingir. Então te vê como o elo mais “fraco” e vê na sua felicidade, educação, ou tristeza e quietude uma forma de liberar essa raiva que ela guarda dentro.
Recentemente passei por isso. Uma pessoa que está no meu meio de trabalho desde o dia que entrou tentou me criar inúmeros problemas. Me tratava muito mal e em seguida chorava e contava a todos o contrário. Cometia erros e tentava colocar a culpa em mim... no começo, devo confessar que senti raiva. Não conseguia entender o motivo de tanta dor e tanta tristeza despejadas em cima de uma pessoa que sempre que pôde à estendeu a mão. Então, descobri que está pessoa tinha três grandes problemas: o primeiro era a necessidade extrema de atenção devido a sua insegurança; e segunda provinha de um relacionamento muito destrutivo que a leva a chorar todos os dias e a pensar em suicídio, sendo que eu saí de um relacionamento muito delicado e continuava firme, forte e sorrindo ; e a terceira era a inveja: das roupas, do tratamento que recebo das pessoas...

Quando me dei conta disso pensei: ela não tem raiva de mim, ela tem raiva de si mesma. Ela não odeia a mim, ela, lamentavelmente odeia a si mesma e a vida que leva. Ela não suporta a ideia de ainda não estar preparada para dar passos mais largos em sua vida e amadurecer. No meu ímpeto, tentei ajuda-la. Mas isso causou ainda mais raiva nela. Então a coloquei em minhas orações diárias. Como terei que conviver com ela por algum tempo, e acredito que precisamos estar cercados de energia positiva para evoluir e ser feliz, quando mais feliz as pessoas e minha volta estiverem, mais grata eu serei e, consequentemente mais feliz.

A raiva passou e imediatamente comecei a vê-la como uma grande professora. Eu estava assim nos primeiros dias de divórcio: amarga, triste, só falava sobre isso e achava que todos a minha volta tinham que estar deprimidos e tristes junto comigo... não é assim. Sinto informar. Somos seres individuais que convivem em coletividade. Todos temos problemas e, por mais que de uma maneira ou de outra as pessoas a nossa volta se compadeçam da nossa dor e possam ajudar de alguma forma, nós fomos os causadores e só nós podemos encontrar a solução e a saída para nossos problemas. Não adianta projetar sua ira no outro porque a única pessoa que vai sair machucada é você.

Quando decidi me divorciar ouvi frases do tipo: “casamento tem que ser pra sempre, um empurrão ou um arranhão não é agressão”; “todo homem é meio agressivo às vezes”... estava tão debilitada física e emocionalmente que cheguei mesmo a cogitar que tudo o que eu tinha passado era coisa da minha cabeça. *Só pra constar, meu ex ainda acha isso e eu o considero um grande professor. Então me cerquei de pessoas completamente diferentes das que eu costumava ter por perto. Voltei a ler e escrever, incluindo músicas  (coisas que não fazia há mais de 15 anos); voltei a sair, cuidar da alimentação, ter por perto pessoas felizes, bem resolvidas e que me apresentaram e estão me apresentando um mundo repleto de coisas maravilhosas que eu já tinha mas não valorizava. Estou descobrindo a minha imagem Verdadeira. *nisso falaremos em outro artigo.

Depois disso, antes de revidar, julgar ou falar eu me faço algumas perguntas: eu estou sendo eu mesma ou reflexo das minhas emoções passadas? Eu estou reagindo como gostaria que reagisse comigo? Por que será que essa pessoa me tratou assim? Agi de modo correto com ela? Preciso realmente conviver com essa pessoa? Se não preciso, por que estou convivendo? Como posso resolver essa situação sem me ferir ou ferir o outro? O Deus que habita dentro de mim está evoluindo com essa atitude?
Muitas perguntas, correto? Mas quando você responde a todas elas vai notar que não há motivo pra raiva, vingança, rancor... E devo isso é todas as pessoas que atraí no meu processo de evolução e no Deus que agiu através dessas pessoas para me mostrar um caminho de maior harmonia e felicidade.

Meu conselho? Se cerque de pessoas boas de verdade, que sejam Luz. Invista no seu Eu interior e seja luz também por onde passar. Dedique algumas horas da semana a uma Boa terapeuta (a minha se chama Marlene e me ajudou a dar passos imensos); evite falar de problemas pois, cada vez que falamos é como vive-Los novamente. Tire alguns momentos do dia para meditação silenciosa e oração. Se ame, se respeite e acredite: assim como tudo que está acontecendo é culpa sua a resolução desses probleminhas também são responsabilidades suas. Agradeça por tudo e se dê a chance de ser feliz!

Namaste

Nenhum comentário:

Postar um comentário