sexta-feira, 21 de abril de 2017

Na minha vida só quero o que é bom! Eu mereço.


Nos últimos meses tive algumas mudanças drásticas em minha vida. Abri mão de algumas coisas, adquiri outras, aprendi muito, passei a dedicar mais tempo e minha espiritualidade... Além do meu trabalho com o site de gastronomia, que ainda está começando, resolvi trabalhar em outras áreas para complementar a renda. Um grande amigo, gerente de um restaurante na minha cidade, me convidou para fazer extras a noite lá, como caixa. O trabalho é divertido, dá pra conhecer muita gente nova, moradores e turistas de todo país. Mas uma coisa me chamou muito a atenção: a postura das pessoas que me “conhecem” e sabem que sou jornalista e já tive, juntamente com meu ex marido, um restaurante. 
Algumas pessoas frequentavam as mesmas festas que eu, trabalhavam juntos, bebiam juntos (muitas vezes às minhas custas), me chamavam de “amiga”... Hoje, quando me encontram no restaurante, tem reações diversas, é engraçado de ver: alguns fingem não me conhecer, outros preferem não ir ao caixa para não precisar falar comigo, uma delas saiu do restaurante às pressas para não me cumprimentar... foi engraçado. 
E onde está o problema? Em mim? No cargo? Ou nelas? Eu acredito que a ultima opção é a verdadeira. O fato de se incomodarem com o cargo diz muito sobre o caráter de cada uma delas. E me coloca numa posição interessante: quem desses eram realmente meus amigos? A resposta também é simples: nenhum. Que exemplo essas pessoas estão passando para seus filhos? Qual dessas pessoas gostou de verdade de mim alguma vez ou apenas estava por perto para se aproveitar de situação e do que eu posso oferecer? É esse tipo de pessoa que quero frequentando a minha casa e fazendo parte da minha vida?
Meu telefone não toca mais como antes. Mas quando toca, do outro lado tem sempre alguém que me ama de verdade. Gente que liga só pra saber como estou. Gente que me convida para um café ou um jantar em suas casas. Gente que só quer saber se estou me cuidando e se oferecendo para estar ali se eu precisar de alguma coisa. E isso me faz uma mulher imensamente feliz.
Oportunidades de trabalho na minha área? Sou eu quem faço. Mas acredito que este tempo que estou passando no restaurante citado anteriormente faz parte da limpeza que estou fazendo na minha vida e que já citei em outros artigos: Na minha vida só quero o que é bom. E isso inclui as pessoas. Faz parte de uma limpeza energética. Se você se cerca do que é bom, só terá em resposta coisas boas. Se você se cerca de futilidade, falsidade e coisas ruins, só terá isso de retorno. 
Que tal fazer esta limpeza energética na sua vida você também? 

Namaste 

Nenhum comentário:

Postar um comentário